Tag Archives: muah!

6 meses

após 6 meses eu gosto mais do que eu vejo no espelho
eu lembrei que eu tenho cintura, ombros, clavícula e até os ossos da bacia!

não fico sem ar, não suo loucamente
tem coisa mais incômoda do que suar no bigode?
(ok, eu sei que tem)

não fico incomodada com roupas que marcam
com roupas que apertam, pneuzinhos que pulam

estar emagrecendo me trouxe mais ânimo
me sinto mais feliz, mais segura, mais mulher
minha relação comigo e com o mundo está mais leve e menos agressiva

eu me aceito mais, me sinto mais aceita
ganho sorrisos gratuitos que já não ganhava antes
vestir a calça que eu usava antes da operação
foi motivo de gargalhadas relaxantes
(nossa, rimei!)

ainda existe um longo caminho até chegar ao corpo que eu quero
um longo caminho de adaptação na hora de comer
entalarei uma centena de vezes, passarei mal
mas vestirei uma roupa e me sentirei linda e confortável
olharei pro espelho e me verei linda, com curvas nos lugares certos

o tal do lance da dor e da delícia.

eu quero é mais!
digo, eu quero é menos!
menos calorias, menos preocupação, menos tristeza e menos roupas
magreza lá vou eu!

¬ sobre o processo cirúrgico: a banda mais magra da cidade
¬ sobre como eu não me aceitava e as coisas horríveis que passei e ouvi: pesado
¬ sobre os milhares de quilos que eu engordei: 38

paf!

nossa
me entreguei de cabeça
pra cada imbecil

calejada
cansada


aconteceu

paf!

antes disso tudo acontecer
eu acreditava em amor
mas eu não sabia
que poderia ser tão bom assim

podem não acreditar
podem achar que é precoce
foda-se
quero viver plena e intensamente
cada segundo disso

eu sei o que se passa
eu sei o que eu sinto
só nós dois sabemos
o que acontece com a gente
e no nosso mundo

e é leve
e é mágico
e é delicioso
falta até o ar

eu sei que é de verdade
ele sabe que é de verdade
nós sabemos que é de verdade
e nós queremos de verdade

como eu sempre quis
a paz que eu sempre quis
o companheirismo que eu sempre quis
a delicadeza, o carinho, o cuidado

e o suspiro
e o abraço
e o beijo
e a pele
e as mãos

testa que encosta na testa
coisas que não precisam ser ditas
tudo entendido num olhar
na respiração

eu ainda não entendo
como é tão fácil assim

amo

gozar nos faz crer em deus

li esse texto numa men’s health de 2006…
não achei o nome da autora… mas era uma gringa…
check it out!

É como o momento da explosão de uma cereja madura, o suco caindo pelas fendas. É como um veludo roxo em chamas. É um conhecimento absoluto e primitivo que nosso corpo adquiriu após longo tempo de prática. Nosso gozo sempre começa com um sussurro, um rumor, como acordes ou notas de uma canção que podemos perceber, mas não podemos ouvir bem e, definitivamente, não somos capazes de nomear.

Quando ele se aproxima, nós lhe puxamos para perto. É quando dizemos que o amamos, além de outras coisas que não se pode mencionar aqui. Nessa hora, não queremos que você pare e deixamos isso bem claro.

No final, a urgência rompe com a lógica. Enxergamos violeta atrás das pálpebras fechadas. É como se ouvíssemos o coração lá embaixo batendo tão alto que chega a doer. Tornam-se pontadas que enviam uma onda de euforia pelo corpo. Passa pelas veias como se fosse óleo, revestindo e curando todas as partes do nosso corpo. É tão forte que nos faz tremer. Às vezes parece que somos atiradas de cabeça numa espécie de sono induzido pelo ópio e ronronamos como gatas, incapazes de reagir. Em outras, ficamos eletrificadas e nos agitamos entre lençóis.

Por que choramos? Talvez seja pela mesma razão que uma criança chora quando acaba sua festa de aniversário e seus amigos vão embora para casa. Às vezes os nervos estão tão inundados de prazer que as sinapses acabam saindo pelos dutos lacrimais. Mas o corpo pode controlar. Nós choramos por uma espécie de gratidão religiosa, caídas na escada que leva ao altar, levantando os braços em agradecimento.

Alguns orgasmos são longos e extenuantes… e queimam o corpo – estes nos fazem acreditar em Deus. Sentimo-nos preenchidas imediatamente, indolentes e bêbadas como se tivéssemos participado de um banquete; outras vezes nos sentimos arrebatadas e exaustas, como se fôssemos objetos de um festim. Outro tipo de orgasmo, embora o protocolo tenha sido cumprido, nos faz querer o dinheiro de volta. Esses são orgasmos rasos, curtos e incertos.

Podemos castigar você se não chegarmos lá, merecendo ou não. Podemos virar o rosto no travesseiro e ficarmos em silêncio. Podemos ficar rígidas como um defunto, insensíveis a afagos e aconchego. Ou também podemos castigar a nós mesmas.

Queremos gozar para o nosso bem, mas também por você. Gostamos de lhe dar nossa parte, que é pura e real, porque adoramos quando você dá a sua. E quando gozamos juntos, então, deitamos ao seu lado em silêncio, sabendo que o quarto é o nosso reino.

_listenin’: justify my love _ madonna

suspiro

não sei se tem algo com alinhamento interplanetário
as vacas gordas x vacas magras,
numerologia, deuses, arcanjos…
ou se é o tal maktub…

não passava por algo do gênero desde…
desde que nasci!
agora, enquanto escrevo…
sinto uma coisa aqui dentro do peito
como se fosse uma agonia
mas inversa…
é algo mto, mto bom!!!

mal consigo lembrar do que falei ou ouvi.
as lembro dos olhos, do toque, do hálito…
e mais do que lembrar
eu sei q foi td de verdade…
queria poder guardar
cada segundo daquele para sempre.
e suspiro…

e-x-t-a-s-i-a-d-a

olhos não mentem…
aqueles olhos não estavam mentindo…

pqp! pqp! pqp!
10 vezes puta que pariu!
como isso é bom!

saca aquela vontade de não sair de perto?!
de forçar o tchau
de sentir o cheiro do perfume do pescoço dele
na palma das mãos?!

deus, não tire essa felicidade de mim!
caraaaaaaaleo!

ok, vou parar de escrever…
tô ficando chata e histérica…

mas anotaê
sabe “o” cara?!
tem grandes chances de ser ele…

using words i never say…
i can only think it must be love
oh, anyway… it’s looking like a beautiful day

_listenin’: one day like this _ elbow

o dia que me rendi ao #lingerieday

#lingerieday pra mim
sempre foi como uma micareta
anos e anos atrás
eu chamava micareta de “orgia do abadá”
até que um dia eu fui e até gostei
fui em 4, não beijei geral
mas valeu a experiência.
next!

nunca fui mto favorável ao #lingerieday
achava uma exposição desnecessária
over.
mas pensei ontem
que problema tem em mostrar algo
que qquer um pode ver na praia?!

lembro q na última edição do #lingerieday
minha autoestima estava no ralo

hj acordei me amando
e decidi postar
uma foto com o que os malditos quilos extras
me trouxeram de melhor

acho q não me deixa exposta
e não ofenderia os meus pais
e a minha família
que são as únicas pessoas no mundo
pra quem devo satisfação
(se vcs, minha familia, se ofenderam ou acharam over, mil desculpas… gostei de me ver bonita)

não fiz pra aparecer
fiz pra mim
enchi meu tel de fotos minhas
cheias de pele aparecendo
pq eu me amo!
é exatamente isso
“self afirmação”
pq EU mereço

posso falar
apesar de não ser mega produzida
e a lingerie não ser de grife
gostei da foto
massageou o meu ego machucadinho

lá vai…

_listenin’: gotan project _ santa maria

vamos jogar?!

não. gracias!
eu não sei jogar
eu não sei fazer joguinhos
sério.
se eu tô afim de um cara
ele logo desconfia
ou sabe por alguém
ou eu mesma conto…

o povo fala mto em se guardar
não abrir o jogo
ter sempre uma carta na manga
me desculpem a falta de modéstia
mas…
sorry, a carta na manga sou eu
awwwwmuaaah!

pq fazer joguinhos?!
amor em conta gotas
não nasci pra isso

eu me jogo, acredito, quebro a cara
aí começo tudo de novo…

e qdo começo tudo de novo…
aaaah as tais borboletas no estômago…
me causam falta de ar…
vontade de estar junto, frenesi
empolgação
dormir, acordar, tomar banho, trabalhar…
fazer tudo
exatamente tudo pensando
no homem que me faz
apostar todas as minhas fichas…
nada de poker face
meu jogo é assim…
tudo ou nada

é pegar na mão, sair correndo e ver no que vai dar…
‘bora?!

_listenin’: poker face _ lady gaga

rascunho de julho de 2009

vendo os rascunhos do meu blog, dei de cara com este texto…
li e dei risada, né…
aaah o amor… o que ele é capaz de fazer…
cega, deixa imbecil…
mas eu amava ter meu coração acelerado
e escrever quase que diarimente…
inspirada por aquela falta de ar deliciosa
que sentimos qdo amor, paixão, sexo, amizade
estão elevados à décima potência…
segue o rascunho…
btw, a imagem eu acrescentei hj.
brindando o aprendizado, o carinho e a civilidade.

estacionar o carro todo destruído
em frente ao seu prédio
e vc entrar nele sempre sorrindo…
o gosto e a intensidade dos seus beijos…
suas manias, seus tiques…
seu cheiro, seu toque, sua boca…
sua pele sempre quente e macia…
que também me abrigava quando eu precisava de colo e carinho…
o jeito que vc passa as mãos nos seus cabelos…
o jeito que vc me olha.
o jeito que a gente se olha…
uma sintonia foda. inexplicável.
o carinho dos inúmeros beijos de tchau
“me manda sms ou me liga. não esquece tá?!”
a voz de travesseiro.
a voz que me deixa feliz.
a voz que me conforta com um alô depois de ouvir reptilia
a voz que, irredutível, me dá bronca. quase um tapa na cara.
a voz que me arrepia inteira.
a voz que me provoca e traz a tona a melhor mulher que eu sou.
a voz safada e deliciosa que me diz coisas impublicáveis.
“pede pra mim, pede…”