Tag Archives: suck it!

blkkk skkkn head

kanye tá puto.
aliás, puta clipe.
mr. west, como sempre, saindo na frente com os clipes fodásticos.
black skin head tem o projeto audiovisual gráfico exclusivo da casa criativa donda, (fundada por kanye, com o nome de sua falecida mãe) e pelo incrível fotógrafo nick knight.

prerrogativa

A grande merda dos relacionamentos é que um quer mudar o outro.
No alto dos meus 28 anos não vou mudar.
Nem por vc, nem por vc, mto menos por vc…
Não abrirei exceções, não quebrarei paradigmas, não aprenderei com exemplos dos outros…
Se fulana casou com um drogado ou sicrana topa ser corna, fodam-se elas…Sei muitíssimo bem o que eu qro pra mim e para a minha vida.
E não. Não me contentarei com migalhas, tecidos rotos e peças mal acabadas…

Longe de mim achar que sou perfeita
(Ou como disse um bunda mole para mim “vc acha q tem periquita de ouro”
Primeiro que quem periquita de ouro é a bonita da esposa dele
E isso não é coisa que um homem com o mínimo de educação fale para uma mulher
Mas né… O imbecil mal sabe falar…)

Voltando ao assunto…
Não estou me ultra valorizando (isso é junto ou separado?!)
Apenas não estou, dia após dia me tornando uma mulher espetacular
Para me envolver com qualquer ser xy que não seja o mínimo que eu espero de um homem decente para mim

Repito
Não abro nem abrirei exceções
Não nasci pra não viver próximo ao 100% da felicidade

E tô dispensando fazer caridade pra corações bons
Coração bom eu tbm tenho e nunca me deram mole por isso

Pra estar comigo tem que ralar mto
Num montão de sentidos
Prefiro morrer sozinha do que ter um encosto encostado em mim

Mtos podem pensar “Que teimosia. Que infantilidade…”
Olha só a minha preocupação…

Onde chegarei com essas minhas regras todas?!
Não sei… Mas tenho aproveitado a vida
E certamente não serei uma frustrada por me prender a alguém que não chega perto do meu ideal

_listenin’: runaway _ kanye west feat. pusha t

Envoyé de mon iPhone

gozar nos faz crer em deus

li esse texto numa men’s health de 2006…
não achei o nome da autora… mas era uma gringa…
check it out!

É como o momento da explosão de uma cereja madura, o suco caindo pelas fendas. É como um veludo roxo em chamas. É um conhecimento absoluto e primitivo que nosso corpo adquiriu após longo tempo de prática. Nosso gozo sempre começa com um sussurro, um rumor, como acordes ou notas de uma canção que podemos perceber, mas não podemos ouvir bem e, definitivamente, não somos capazes de nomear.

Quando ele se aproxima, nós lhe puxamos para perto. É quando dizemos que o amamos, além de outras coisas que não se pode mencionar aqui. Nessa hora, não queremos que você pare e deixamos isso bem claro.

No final, a urgência rompe com a lógica. Enxergamos violeta atrás das pálpebras fechadas. É como se ouvíssemos o coração lá embaixo batendo tão alto que chega a doer. Tornam-se pontadas que enviam uma onda de euforia pelo corpo. Passa pelas veias como se fosse óleo, revestindo e curando todas as partes do nosso corpo. É tão forte que nos faz tremer. Às vezes parece que somos atiradas de cabeça numa espécie de sono induzido pelo ópio e ronronamos como gatas, incapazes de reagir. Em outras, ficamos eletrificadas e nos agitamos entre lençóis.

Por que choramos? Talvez seja pela mesma razão que uma criança chora quando acaba sua festa de aniversário e seus amigos vão embora para casa. Às vezes os nervos estão tão inundados de prazer que as sinapses acabam saindo pelos dutos lacrimais. Mas o corpo pode controlar. Nós choramos por uma espécie de gratidão religiosa, caídas na escada que leva ao altar, levantando os braços em agradecimento.

Alguns orgasmos são longos e extenuantes… e queimam o corpo – estes nos fazem acreditar em Deus. Sentimo-nos preenchidas imediatamente, indolentes e bêbadas como se tivéssemos participado de um banquete; outras vezes nos sentimos arrebatadas e exaustas, como se fôssemos objetos de um festim. Outro tipo de orgasmo, embora o protocolo tenha sido cumprido, nos faz querer o dinheiro de volta. Esses são orgasmos rasos, curtos e incertos.

Podemos castigar você se não chegarmos lá, merecendo ou não. Podemos virar o rosto no travesseiro e ficarmos em silêncio. Podemos ficar rígidas como um defunto, insensíveis a afagos e aconchego. Ou também podemos castigar a nós mesmas.

Queremos gozar para o nosso bem, mas também por você. Gostamos de lhe dar nossa parte, que é pura e real, porque adoramos quando você dá a sua. E quando gozamos juntos, então, deitamos ao seu lado em silêncio, sabendo que o quarto é o nosso reino.

_listenin’: justify my love _ madonna

o dia que me rendi ao #lingerieday

#lingerieday pra mim
sempre foi como uma micareta
anos e anos atrás
eu chamava micareta de “orgia do abadá”
até que um dia eu fui e até gostei
fui em 4, não beijei geral
mas valeu a experiência.
next!

nunca fui mto favorável ao #lingerieday
achava uma exposição desnecessária
over.
mas pensei ontem
que problema tem em mostrar algo
que qquer um pode ver na praia?!

lembro q na última edição do #lingerieday
minha autoestima estava no ralo

hj acordei me amando
e decidi postar
uma foto com o que os malditos quilos extras
me trouxeram de melhor

acho q não me deixa exposta
e não ofenderia os meus pais
e a minha família
que são as únicas pessoas no mundo
pra quem devo satisfação
(se vcs, minha familia, se ofenderam ou acharam over, mil desculpas… gostei de me ver bonita)

não fiz pra aparecer
fiz pra mim
enchi meu tel de fotos minhas
cheias de pele aparecendo
pq eu me amo!
é exatamente isso
“self afirmação”
pq EU mereço

posso falar
apesar de não ser mega produzida
e a lingerie não ser de grife
gostei da foto
massageou o meu ego machucadinho

lá vai…

_listenin’: gotan project _ santa maria

para ou continua?!

o caminho parece lindo
tranquilo, facil e gostoso
mas tem uma pedra gigante no meio dele
por mais q digam q a pedra
na verdade é
um monte de areia…
fica a dúvida:
para ou continua?!

eu sigo!
se for areia,
vai se desfazer
e se a pedra for de verdade?!
eu subo nela e grito
“é tudo meu porra!”

tá bom q eu vou recuar…
rá!
nem em sonho…

to infinity and beyond!

_listenin’: unstoppable _ santogold

phyna

sempre acompanhei o abduzeedo, um puuuuta site legal de design…
hj, tô aqui trabalhando, qdo um amigo fala pra eu entrar no site…
PAF!
quase caí dura no chão…

aí, cliquei no post…
PAF!

minha tattoo, além de estar na home, tbm é o header do post “awesome typographic tattoos”
rá!
pegaeu, brasil!

btw, o site do meu tatuador fabio satori, o “culpado” pela arte no meu corpo

você já foi bonito demais hoje?

amiga que é amiga, dá bronca, beijo, abraço forte, ouve as mazelas até de madrugada e mesmo com um gap de 7 anos, dá colo, massageia o ego e ainda escreve post pro blog!

curvem-se a inteligência, sarcasmo, acidez de flora paul.

palmas pra ela!!!

minha amiga, guru, menina prodígio, jornalista sensacional, fotógrafa de mão e olhos cheios, adora indie rock, spice girls e tem tara por esmaltes! viva!

leiam o texto dessa canceriana que se espalha em são paulo por dia e flic, flic, flic!

você já foi bonito demais hoje?

fui muito diaba. muito. não apenas drama queen. diaba. com maldades e provocações de caso pensado, levadas a sério e com sorriso cínico. ainda tenho resquícios endiabrados em mim. eles aparecem em casos como em que frases como “eu sou bonito demais para você?” são proferidas e em outros dramas de fins de relacionamentos alheios – já que o meu não está em questão, nem em drama ou final, o que deve, de fato, ser o motivo para meu endiabramento estar adormecido.

sempre fui muito discreta, ainda que infernal. mandava a merda (só para ele ouvir) no mesmo tom de berro histérico em que falava que amava (às vezes, nem para ele ouvir). acontece. uma das razões para minha histeria, com certeza, é porque era inteligente demais para meus “eles”. e eu não sou incrivelmente inteligente, nem nada. só acabei cruzando com mais idiotas, retardados emocionais e pessoas mentalmente preguiçosas, digamos. mas eu não era tão inteligente assim, considerando que, bom, eu saía com eles. tanto faz.

a questão é, que pessoa, com mais de 13 anos, realmente pensa esse tipo de coisa quando está em uma relação? ok. pensar, todo mundo pensa. mas quem fala? quem leva a sério? quem se importa? que tipo de imbecil acha que o fato de ser bonito demais (oi?) é um problema? que tipo de pessoa realmente acredita ser bonita demais para alguma coisa? aliás, o que é ser bonito demais? gato, nem que você fosse.

e outra coisa, gente bonita é bonita e pronto. não precisa se credenciar de bonita. da mesma forma que eu nunca precisei falar que era inteligente. se eu sou, você conversa comigo e descobre. e se apavora, seja o que for. a questão é: não.

a questão é: será que você não é babaca demais para mim? porque babaca você é, sim. demais. inseguro, idem. autocentrado, ridiculamente, aham. retardado emocional, mentalmente preguiçoso, enfadonho e alvo de gozações, também. desliga o twitter e vai observar um espelho. ou: sai da sua bolha e comece a encarar pessoas. você vai perceber que não é tão bonito, não é tão em forma e, acima de tudo, não é interessante. beijos.

flora_paul_DSCN2075

_listenin’: lick the pavement _ garbage